A & G Belting Systems sas
di Aprovitola Enzo e C.

Yahoo! Music - Internet Radio, Music Videos, Artists, Music News & More pandora ar líne

Google Pagerank®:
new.music.yahoo.com PageRank: Page Rank Checker

Alexa 5 Year Traffic Rank:


Alexa rank:





Related Picks from the Web:

Index & Backlink Checker (Links open new window):

pandora korvakorut myyntin="center">
Registrar Information (WhoIs):
Search

pandora ar líne

pandora konsol
pandora armbånd butikk locator
pandora charms priser
pandora charms à vendre

Publica tus notas de prensa gratis

Notas sobre DISEÑO

Diseño web responsive

Dado el incremento de visitas registradas desde dispositivos móvles en todas las webs de nuestros clientes. Hemos decidido que desde el 1 de nobiembre, todas las páginas diseñadas por Cerotec Estudios, usarán un sistema de diseño web responsive. Un diseño adaptable a las diferentes resoluciones de pantalla y por consiguiente a los diferentes dispositivos móviles: Tables, Iphone, etc.... Ver promoción [25 de Octubre del 2013]

TAGS: Diseño web responsive, Cerotec

EN: Diseño web

¿Cuál es el D.N.I de las empresas?

La imagen de marca o logotipo es la señal de identidad que representa gráficamente a una empresa. A través de ella se puede descubrir a simple vista mucho sobre la actividad que desarrolla una sociedad, su sector, funcionalidad, servicio o producto, y creatividad. El logotipo de una firma es el primer medio visual y el más directo, cuyo objetivo principal es mostrar y representar a dicha empresa ante los usuarios que la encuentran en la red. .. [31 de Octubre del 2013]

TAGS: diseño logo, diseño logotipo, diseño grafico, empresa diseño gráfico

EN: Marketing online

Muy interesante

Tips de Salud y Nutrición

En el blog de salud que hemos encontrado uno de esos pequeños tesoros que hay por la red y no es nada fáciles de encontrar. Se trata de un blog donde se recopilan tips de salud y nutrición que nos ayudarán a encontrar los mejores consejos para cualquier dolencia. Cada día se actualiza con más de 10 consejos por lo que su bases de datos va creciendo con rapidez. Consejos y mucho más A lo largo del blog veremos todas las publicaciones son .. [13 de Noviembre del 2013]

TAGS: salud, nutrición, dietetica, dieta, adelgazar, alimentos

EN: Bienestar

El último lanzamiento de YUNSEY PROFESSIONAL su ELIXIR YUNSEY, con Aceite de Argán y Abisinia

El último lanzamiento de YUNSEY PROFESSIONAL su ELIXIR YUNSEY, con Aceite de Argán y Abisinia

YUNSEY PROFESSIONAL presenta su último lanzamiento el ELEXIR YUNSEY con Aceite de Argán y Abisinia. Una apuesta segura que aporta al cabello el máximo cuidado y le proporciona lo que necesita para conseguir unas melenas espectaculares. Con un cómodo dosificador en spray, de fácil aplicación, único en el mercado y un diseño vintage que enamora. Producto formulado con una mezcla de aceites y activos que mejoran el cabello. Contiene Aceite d.. [21 de Noviembre del 2013]

TAGS: yunsey, style, peluquería, estética

EN: Estética

Schüco celebra la final de su Business Cup World en Mallorca con Barbara Schöneberger

Mayor proximidad hacia el cliente con eventos y deporte La final de la "Schüco Business Cup" ha tenido lugar en el privilegiado campo de golf Son Muntaner de Mallorca a finales de octubre. Tras las eliminatorias disputadas en 8 paises, el vencedor de esta serie de torneos se decidió en una final mundial de lo más emocionante. Además, la popular cantante y estrella de la televisión Barbara Schöneberger amenizó todo el evento.Además de juga.. [21 de Noviembre del 2013]

TAGS: Schüco, Business Cup World Schüco

EN: Negocio y Compras

Muy interesante

  “FANSS” lanza una campaña de crowdfunding o mecenazgo colectivo, con el fin de recaudar financiación privada para lanzar una nueva empresa de distribución de camisetas. (www.fanss.es)   El crowdfunding o mecenazgo colectivo es un nuevo enfoque de la economía: El nacimiento de “FANSS” es la consecuencia de la unificación de esfuerzos, recursos e ideas para generar riqueza, empleo, competitividad y bienestar. De ahí, que se propon.. [22 de Noviembre del 2013]

TAGS: Crowdfunfing, mecenazgo colectivo, camisetas, superheroes, futbol, personajes, verano, piratas

EN: Negocio y Compras

El I premio de Emprendedores del Masnou bajo sospecha por irregularidades

El I premio de Emprendedores del Masnou bajo sospecha por irregularidades

“Irregularidades relevantes para la comprensión del otorgamiento de este premio por parte del Ajuntament hacen que quede bajo sospecha y se puedan solicitar depuraciones en su validez”.   El pasado día 28 de noviembre 2013 fue dada a conocer la ganadora de “Els I Premis d'Emprenedoria El masnou jove 2013”; otorgando el premio en la categoría de “Emprenedora Jove” a Marina Martí Torrelles, que recibirá 7.260 euros de dinero púb.. [09 de Diciembre del 2013]

TAGS: el masnou, politica, premis empreneduria, irregularidades, alcalde el masnou, la belle rebelle

EN: Negocio y Compras

Khaos digital, lanza KhaosWeb su nuevo gestor de contenidos (CMS), con el que modificar los contenidos e imágenes de tu

Khaos digital, lanza KhaosWeb su nuevo gestor de contenidos (CMS), con el que modificar los contenidos e imágenes de tu

El sistema permite que cualquier usuario pueda administrar toda la información de su web, como si manejara un blog o un periódico digital. Desde hace tiempo se ha identificando que el mercado no termina de encontrar la solución adecuada para las aspiraciones de las Pymes, ya que las propuestas de “hágaselo usted mismo”, dejan mucho que desear en cuanto al diseño y la funcionalidad de una página web profesional y los sistemas como WordPr.. [16 de Enero del 2014]

TAGS: pagina web marketing digital cms tienda online

EN: Diseño web

Muy interesante

Nace un servicio de interiorismo online a 1 euro el metro cuadrado

Nace un servicio de interiorismo online a 1 euro el metro cuadrado

Debido a la crisis económica actual y a la cada vez menor capacidad adquisitiva de la población, hoy en día están proliferando empresas que ofrecen servicios lowcost o a bajo precio. En la actualidad, cada vez hay más personas que tienen que adaptarse a vivir en pisos pequeños, y parejas que tienen hijos y no pueden cambiarse a una vivienda con más metros cuadrados, teniendo que adaptar su espacio a las nuevas necesidades sea como sea. Los.. [17 de Enero del 2014]

TAGS: interiorismo, lowcost, diseño, arquitectura, reformas, emprendedores, servicios, empresas

EN: Serví­cios

La aplicación de noticias News Republic® introduce innovadoras

La aplicación de noticias News Republic® introduce innovadoras

  Madrid, enero de 2014  Ì¶  Mobiles Republic, desarrollador líder de Apps de noticias ha anunciado hoy novedosos avances para su galardonada aplicación, News Republic®. La empresa ha lanzado hoy News Republic 4.0, una actualización que incluye significativas mejoras en su tecnología semántica TagNav™, la cual hace posible que la aplicación adquiera consciencia de los hábitos de lectura del usuario (los cuales son 100% privados par.. [20 de Enero del 2014]

TAGS: apps, aplicaciones, tecnologías, tecnología, noticias, iPhone, Android, smartphones, tablets, telefonía móvil, móvi

EN: Ciencia y tecnología

Lanzamiento de Jamonprivé: jamón ibérico y mucho más

Lanzamiento de Jamonprivé: jamón ibérico y mucho más

La escasez de plataformas dedicadas a la venta online de jamón ibérico y otros productos ibéricos, y las carencias advertidas en las ya existentes, pasarán a formar parte del pasado gracias al inminente lanzamiento, durante el próximo mes de Marzo, de Jamonprive.com, el portal especializado en la distribución de productos ibéricos de alta calidad. ………………………………………. Efectivamente, al realizar una búsqueda por I.. [22 de Enero del 2014]

TAGS: jamón ibérico, productos ibéricos, venta online

EN: Alimentos

Novedades en la Línea de Quality Assurance de TCP

 Novedades en la Línea de Quality Assurance de TCP

La línea de QA de TCP está dedicada al control de calidad en el ciclo de vida de proyectos. Sus clientes confían cada vez más en sus servicios que le proporcionan un impacto directo en la minimización de riesgos y en el ahorro de costes.  Además, TCP ha incorporado nuevos servicios a su catálogo, que están suponiendo una ventaja competitiva y un valor añadido hacia sus clientes.   Este es el catálogo de servicios de QA de la compañí.. [23 de Enero del 2014]

TAGS: quality assurance, novedades, linea

EN: Marketing online

II Congreso SEM Profesional

II Congreso SEM Profesional

con Juan Ramón Sanfeliu Diseño de Landings Page para AdWords con Ana Berges Google AdWords Shopping con Ramón Fabregat WPO acelera tu sitio web y Landing Page con Sergio Falcón Informes profesionales para AdWords con Kilian Barrera   Programa de ponencias del Sábado 22 II Congreso SEM Profesional 09.30        Sinergias SEO + PPC (Edgar Sánchez) 10.15        AdWords Reporting con WeLovRoi (Kilian Barrera) 11.45        L.. [23 de Enero del 2014]

TAGS: Congreso SEM profesional 2014

EN: Marketing online

Nueva Web de Aguardiente Clothing

Nueva Web de Aguardiente Clothing

  La firma de camisetas serigrafiadas Aguardiente Clothing lanza una nueva tienda online para vender sus productos, ahora a un precio más accesible.   La marca española mezcla los valores tradicionales de España con las últimas tendencias en diseño o con iconos del pop de Andy Warhol. Ellos son los responsables de que figuras como Marilyn Monroe o Grace Kelly se vistiesen de chulapa y sevillana.   En su última colección, Old School 2014.. [27 de Enero del 2014]

TAGS: camistas, camisetas españolas, camisetas de diseño, camisetas serigrafiadas, aguardiente clothing, folklore

EN: Negocio y Compras

II Congreso SEM Profesional

El II Congreso SEM es el principal encuentro entre profesionales de marketing online, empresas, PYMEs y cualquier persona interesada en las campañas de pago para posicionamiento en buscadores (Google AdWords, Yahoo!/Bing Network, etc.)   Se celebrará en Madrid, en el hotel RafaelHoteles Atocha los días 21 y 22 de febrero de 2014, contando con una primera jornada formativa, compuesta por seis talleres de niveles básico a avanzado, impartidos .. [27 de Enero del 2014]

TAGS: Google Adwords, PPC, Congreso

EN: Marketing online

Mike Swaney "Hut 1 Paintings 4" Presentación en Madrid el día 6 de Febrero en Blokker Gallery (C/Espalter 5).

Mike Swaney

Mike Swaney "Hut 1 Paintings 4"  Presentación en Madrid el día 6 de Febrero en Blokker Gallery (C/Espalter 5). "Hut 1 Paintings 4"es el título de la primera exposición en solitario de Mike Swaney en Blokker es claro y conciso. En este caso la muestra es un cara a cara entre la pintura y la instalación. Hut 1 Paintings 4 - su mayor instalación hasta la fecha, está acompañada por cuatro pinturas de acrílico sobre lienzo crudo de formato .. [28 de Enero del 2014]

TAGS: Mike Swaney Blokker Gallery

EN: Arte

SELLIGENT ABRE EL CAMINO A LA CONNVERSI

SELLIGENT ABRE EL CAMINO A LA CONNVERSI

El nuevo módulo de Behavioral Profiling, para gestión de campañas de marketing permite identificar a los visitantes anónimos de nuestra web únicamente por su conducta. Madrid. 22 de Enero de 2014. Selligent ha presentado la nueva versión de su solución para la gestión de campañas de marketing que incorpora la posibilidad de realizar campañas específicas y de fidelización incluso a los usuarios anónimos.   La nueva versión Selligen.. [29 de Enero del 2014]

TAGS: Selligent

EN: Marketing online

Daño cerebral, convulsiones y depresión con el consumo de éxtasis.

Una sobredosis de MDMA se caracteriza por alta presión sanguínea, desvanecimiento, ataques de pánico y en los casos más severos, pérdida de consciencia, convulsiones, y una drástica elevación de la temperatura del cuerpo. Las sobredosis de MDMA pueden ser fatales, puesto que pueden resultar en falla cardíaca o en golpe de calor. Los efectos pueden empezar después de unos 20 minutos y pueden durar por horas. Hay un “estremecimiento

Navegação de posts

← Anterior Próximo →

É MEU DEVER DIZER AOS JOVENS O QUE É UM GOLPE DE ESTADO

Publicado em 20/02/2014 por Hildegard Angel

**Há cheiro de 1964 no ar. Não apenas no Brasil, mas também nas vizinhanças. Acho então que é chegada a hora de dar o meu depoimento.

Dizer a vocês, jovens de 20, 30, 40 anos de meu Brasil, o que é de fato uma ditadura.

Se a Ditadura Militar tivesse sido contada na escola, como são a Inconfidência Mineira e outros episódios pontuais de usurpação da liberdade em nosso país, eu não estaria me vendo hoje obrigada a passar sal em minhas tão raladas feridas, que jamais pararam de sangrar.

Fazer as feridas sangrarem é obrigação de cada um dos que sofreram naquele período e ainda têm voz para falar.

Alguns já se calaram para sempre. Outros, agora se calam por vontade própria. Terceiros, por cansaço. Muitos, por desânimo. O coração tem razões…

Eu falo e eu choro e eu me sinto um bagaço. Talvez porque a minha consciência do sofrimento tenha pegado meio no tranco, como se eu vivesse durante um certo tempo assim catatônica, sem prestar atenção, caminhando como cabra cega num cenário de terror e desolação, apalpando o ar, me guiando pela brisa. E quando, finalmente, caiu-me a venda, só vi o vazio de minha própria cegueira.

Meu irmão, meu irmão, onde estás? Sequer o corpo jamais tivemos.

Outro dia, jantei com um casal de leais companheiros dele. Bronzeados, risonhos, felizes. Quando falei do sofrimento que passávamos em casa, na expectativa de saber se Tuti estaria morto ou vivo, se havia corpo ou não, ouvi: “Ah, mas se soubessem como éramos felizes… Dormíamos de mãos dadas e com o revólver ao lado, e éramos completamente felizes”. E se olharam, um ao outro, completamente felizes.
Ah, meu deus, e como nós, as famílias dos que morreram, éramos e somos completamente infelizes!

A ditadura militar aboletou-se no Brasil, assentada sobre um colchão de mentiras ardilosamente costuradas para iludir a boa fé de uma classe média desinformada, aterrorizada por perversa lavagem cerebral da mídia, que antevia uma “invasão vermelha”, quando o que, de fato, hoje se sabe, navegava célere em nossa direção, era uma frota americana.

Deu-se o golpe! Os jovens universitários liberais e de esquerda não precisavam de motivação mais convincente para reagir. Como armas, tinham sua ideologia, os argumentos, os livros. Foram afugentados do mundo acadêmico, proibidos de estudar, de frequentar as escolas, o saber entrou para o índex nacional engendrado pela prepotência.
As pessoas tinham as casas invadidas, gavetas reviradas, papéis e livros confiscados. Pessoas eram levadas na calada da noite ou sob o sol brilhante, aos olhos da vizinhança, sem explicações nem motivo, bastava uma denúncia, sabe-se lá por que razão ou partindo de quem, muitas para nunca mais serem vistas ou sabidas. Ou mesmo eram mortas à luz do dia. Ra-ta-ta-ta-tá e pronto.

E todos se calavam. A grande escuridão do Brasil. Assim são as ditaduras. Hoje ouvimos falar dos horrores praticados na Coreia do Norte. Aqui não foi muito diferente. O medo era igual. O obscurantismo igual. As torturas iguais. A hipocrisia idêntica. A aceitação da sobrevivência. Ame-me ou deixe-me. O dedurismo. Tudo igual. Em número menor de indivíduos massacrados, mas a mesma consistência de terror, a mesma impotência.
Falam na corrupção dos dias de hoje. Esquecem-se de falar nas de ontem. Quando cochichavam sobre “as malas do Golbery” ou “as comissões das turbinas”, “as compras de armamento”. Falavam, falavam, mas nada se apurava, nada se publicava, nada se confirmava, pois não havia CPI, não havia um Congresso de verdade, uma imprensa de verdade, uma Justiça de verdade, um país de verdade.

E qualquer empresa, grande, média ou mínima, para conseguir se manter, precisava obrigatoriamente ter na diretoria um militar. De qualquer patente. Para impor respeito, abrir portas, estar imune a perseguições. Se isso não é um tipo de aparelhamento, o que é, então? Um Brasil de mentirinha, ao som da trilha sonora ufanista de Miguel Gustavo.

Minha família se dilacerou. Meu irmão torturado, morto, corpo não sabido. Minha mãe assassinada, numa pantomima de acidente, só desmascarada 22 anos depois, pelo empenho do ministro José Gregory, com a instalação da Comissão dos Mortos e Desaparecidos Políticos no governo Fernando Henrique Cardoso.

Meu pai, quatro infartos e a decepção de saber que ele, estrangeiro, que dedicou vida, esforço e economias a manter um orfanato em Minas, criando 50 meninos brasileiros e lhes dando ofício, via o Brasil roubar-lhe o primogênito, Stuart Edgar, somando no nome homenagens aos seus pai e irmão, ambos pastores protestantes americanos – o irmão, assassinado por membro louco da Ku Klux Klan. Tragédia que se repetia.

Minha irmã, enviada repentinamente para estudar nos Estados Unidos, quando minha mãe teve a informação de que sua sala de aula, no curso de Ciências Sociais, na PUC, seria invadida pelos militares, e foi, e os alunos seriam presos, e foram. Até hoje, ela vive no exterior.

Barata tonta, fiquei por aí, vagando feito mariposa, em volta da fosforescência da luz magnífica de minha profissão de colunista social, que só me somou aplausos e muitos queridos amigos, mas também uma insolente incompreensão de quem se arbitrou o insano direito de me julgar por ter sobrevivido.

Outra morte dolorida foi a da atriz, minha verdadeira e apaixonada vocação, que, logo após o assassinato de minha mãe, precisei abdicar de ser, apesar de me ter preparado desde a infância para tal e já ter então alcançado o espaço próprio. Intuitivamente, sabia que prosseguir significaria uma contagem regressiva para meu próprio fim.

Hoje, vivo catando os retalhos daquele passado, como acumuladora, sem espaço para tantos papéis, vestidos, rabiscos, memórias, tentando me entender, encontrar, reencontrar e viver apesar de tudo, e promover nessa plantação tosca de sofrimentos uma bela colheita: lembrar os meus mártires e tudo de bom e de belo que fizeram pelo meu país, quer na moda, na arte, na política, nos exemplos deixados, na História, através do maior número de ações produtivas, efetivas e criativas que eu consiga multiplicar.

E ainda há quem me pergunte em quê a Ditadura Militar modificou minha vida!
Hildegard Angel

**O primeiro parágrafo original deste texto, que fazia referência à possível iminente tomada do poder de um governo eleito democraticamente, na Venezuela, foi trocado pela frase sucinta aqui vista agora, às 15h06m deste dia 24/02/2014, porque o foco principal do assunto (a ditadura brasileira) foi desviado nos comentários. Meus ombros já são pequenos para arcarem com a nossa tragédia. Que dirá com a da Venezuela!

*** Pelo mesmo motivo acima exposto, os comentários que se referiam à questão na Venezuela referida no antigo primeiro parágrafo foram retirados pois perderam o sentido no contexto.Pedindo desculpa aos autores dos textos, muitos deles objeto de reflexão honesta e profunda, e merecedores de serem conhecidos, mas não há motivação para mantê-los aqui no ar. O nível de truculência a que levou a discussão não me permite estimulá-la.

Compartilhe isso:

Publicado em Coluna da Hilde por Hildegard Angel. Marque Link Permanente.

584 ideias sobre “ É MEU DEVER DIZER AOS JOVENS O QUE É UM GOLPE DE ESTADO ”

  1. Haroldo Mourão Cunha em 20/02/2014 às 14:23 disse:

    Prepare-se para os comentários à direita!
    Não atingimos, ainda, o país pelo qual teu irmão e tua mãe – de forma enviesada – morreram! Os oprimidos ainda amam seus opressores!!!

    Comentar ↓
    • Ines Duarte em 21/02/2014 às 0:05 disse:

      Acompanho diariamente os acontecimentos politicos no Brasil, por fontes alternativas e vejo dia a dia. As semelhancas sao grandes, hoje, ano 2014 e no passado, 1964. Cinquenta anos depois e as estrategias sao as mesmas e mais requintadas. Seu depoimento nos deixa mais conscientes sobre o que nos aguarda. Maravilha Hilde! Bom te-la ao lado da verdade, ao lado do Brasil.

      Comentar ↓
      • vera eloisa em 23/02/2014 às 1:28 disse:

        cara Hildegard ! li atentamente teu depoimente e endosso em genero numero e grau, vivi tb este período, e como professora de historia que era, fui muito perseguida, até porque ñ era novidade minha ideologia de esquerda. fou obrigada a lecionar umas disciplinas chamadas Educação Moral e Cívica e outra Chamada O.S.P.B, Organização Social e Politica Brasileira., nelas, as mentiras eram obrigadas a ser lecionadas como verdade, quando eu sabia que era mentira. estas disciplinas foram impostas pelo sistema repressivo, existia um tal ( AI n. 5 ) Ato institucional número 5 , que a todo momento vc era ameaçada por este ato.institucional.infelizmente o sofrimento foi terrivel só quem passou sabe o que é ; me admira ouvir pessoas falarem, ( bom era o tempo do militarismo, que voltem os militares)..Os advogados ñ tinham nenhum direito, porque o tal AI5 , ñ permitia, ficavamos a margem dos direitos dos cidadãos., ñ podiamos representar nossos clientes, eramos um zero a esquerda, só os militares analfabetos tinham o direito da palavra.o cidadão brasileiro era preso e consumiam com ele e ñ podiamos se quer saber o que havia acontecido, eles eram autoritários. porisso estou aqui participando do teu depoimento, porque muitos de nós já ñ vivem mais neste plano. os poucos que restam podem falar, e agora vejo tb a mesma situação. obrigada amiga por reportar este periodo do lagrima me vivemos em 64 e seguinte, até que pintamos nossa cara e empunhamos nossas armas e fomos as ruas, mas nunca de mascaras, cara pintada sim. recebemos o nome de terroristas mas fomos nós os terroristas que devolvemos a democracia que vivemos hoje. aqui chorando ao relembrar estes anos dificeis que vivemos em nosso País ! bjus camarada !

        Comentar ↓
        • Tais em 24/02/2014 às 14:39 disse:

          Me perdoe,mas o que Sr. acha do país atualmente?tenho 28 anos e não alcancei a ditadura, o que eu tenho presenciando é um país pobre, sem educação,com jovens cada vez mais imbecis, vulgares sem conhecimento algum sobre o estado em que o Brasil se encontra, musicas ridículas, desrespeito com para com seus pais, a luta foi grande para se conseguir a liberdade de expressão e que que tem acontecido é que as pessoas estão confundindo essa tal liberdade. Tv,Radio entre outros, se tornaram péssimas influencias para a sociedade,ouvi- se de tudo um pouco, sexo, palavrões,drogas, traições.Os exemplos que tem se seguido são os piores possíveis,na verdade não sei se essa luta valeu a pena.

          Comentar ↓
          • Fábio em 24/02/2014 às 23:58 disse:

            Taís, qualquer coisa é melhor que a ditadura militar. Imagine ter alguém de sua família sequestradqa e morta pelo simples fato de criticar o governo! A imprensa brasileira apoiou a ditadura militar, então não me surpreendo quando vejo o telespectador da Globo ou o leitor da Veja idolotrar seus carrascos e odiar seus libertadores! Pense nisso!

          • Angela em 25/02/2014 às 21:37 disse:

            Sr, Haroldo, eu entendo seu comentário e digo que em todos os segmentos os oprimidos amam seu opressores. Infelizmente o corte drástico, feito no Regime militar, nas disciplinas que “ensinam” a pensar, formou pais sem noção do verdadeiro significado que deveriam exercer na vida de seus filhos. Era quase uma adolescente na época e lembro do medo, de minha mãe queimando certos livros perigosos, que poderiam incriminar meus irmãos. Concordo que a maioria das pessoas q estão vivenciando este momento político não conhecem a história real deste passado de tiranias. Abrem a boca para falar como se propriedade tivessem. Não sabem o significado da palavra sofrimento. Há que se pensar na eliminação da corrupção aqui, mas os discursos contra a atual política é de ignorantes, pessoas que talvez não lembrem ou mesmo desconheçam tudo de terrível que acontece no país desde sempre. Lembrem que evitar falar a respeito, não faz com que ações corruptas que sempre existiram no passado, deixem de existir. Pedir a volta de militares ou esperar um curativo golpe somente evidencia a ignorância latente tão almejada pelos nossos políticos do passado e do momento atual. Educação é tudo, é a maior arma contra nossas atuais políticas.

          • Emerson em 28/02/2014 às 7:33 disse:

            Respeito e educação, cara Taís, se aprendem em casa. Não são os militares, nem governo nenhum, que ensinarão isso.
            Não fique aí se lamentando por algo que não viveu e não sofreu, achando que seria melhor hoje em dia.
            O problema é essa sociedade hipócrita achar que pode usar de uma força composta para proteger o Brasil de ameaças reais para “invasões imaginárias”. Exército não é instrumento de manutenção do conservadorismo.

          • Paulo em 04/03/2014 às 21:40 disse:

            Aqui vc só vai ler o que as pessoas de esquerda querem que vc leia. Não é um forum para formar juízo.

          • ines godoy caires em 17/03/2014 às 8:06 disse:

            Tais, se hoje vês um país desse jeito, é pq os anos de ditadura nos fizeram ficar assim, foram anos onde a maioria do povo não tinha perspectiva , éramos comandados do jeito que eles achavam ser o melhor e o resultado é isso que vemos hoje….acredite que aquela época não foi melhor do que a de hoje….

          • Angela em 21/03/2014 às 15:51 disse:

            Coitada!! 28 anos de imbecilidade, se você tivesse o minimo que fosse de inteligência procuraria ver primeiro o que é uma Ditadura, e as consequências disso.Meu Deus.

          • Valesia em 22/03/2014 às 21:24 disse:

            Muito lúcida e sensata, Tais. Gostaria muito de saber a resposta da Sra. Hidelgard Angel.

          • Daniel Albuquerque em 28/08/2014 às 23:13 disse:

            As novas gerações foram e continuam sendo ensinadas a acreditar (inclusive nas escolas), que os governos militares pós 1964 são a síntese de tudo de ruim que aconteceu na história do Brasil e que nada houve pior do que isso. A se crer no tom horrorizado com que os formadores de opinião repetem a expressão “ditadura militar”, tem-se a im¬pressão de que nem mesmo a escravidão se igualou em crueldade ao regime instaurado no País em 1964. O regime militar tornou-se, nas versões de propaganda anti exército brasileiro, uma espécie de marco zero da iniquidade nacional, projetando sua sombra devastadora no passado e no futuro, como se fosse responsável retroativamente pelo extermínio dos índios pelos bandeirantes, pela escravidão dos negros pelos portugueses e até, projetivamente, pelos escândalos de corrupção que continuam assolando esta República. Sem considerar a infâmia de muitos que atribuem aos militares brasileiros a invenção da tortura.

            Por tanto, sugiro que procure conhecidos, parentes e amigos de seus familiares com mais de cinquenta anos de idade – os que tenham vivenciado a ditadura militar – e indague: Que restrição você ou seus familiares sofreram durante o regime militar? Quantas vezes os militares os proibiram de falar, de escrever, de pensar o que bem quisessem? Em quantas ocasiões concretas vocês foram impedidos de exercerem suas profissões, de escolherem seus locais de residência, de estudarem, de viajarem para onde bem entendessem? Perguntem à vontade, pois duvido que encontrem uma só pessoa comum dos dois gêneros – médico, dentista, contador, funcionário público de carreira, marceneiro, operário, marujo, corretor, engenheiro, autônomo, dona de casa, comerciante, zelador, agricultor, despachante, mo¬torista, etc. – que lhes diga: Fomos perseguidos. Não pudemos exercer nosso ofício. Confiscaram nossos bens. Impedi¬ram-nos de falar. Não nos deixaram viajar. Proibiram-nos de estudar. Não nos deixaram sair à noite, namorar, dançar. Não permitiram que praticássemos nossa religião. Perguntem a milhares, centenas de milhares, milhões de pessoas: ninguém se lembrará de nenhum caso concreto, direto, pessoal, ou familiar de repressão.

            Todavia, se procurar entre artistas, intelectuais, políticos, jornalistas e outros dessas categorias, além dos parentes de guerrilheiros que deram início aos atos de violência – bem intencionados ou não – certamente encontrará alguns que realmente foram ou tiveram parentes cerceados nas suas atividades, dum jeito ou de outro, quando estas foram de contestação violenta ao regime. Se fizer pesquisas exaustivas, concluirá que quase todos os reprimidos pelo regime militar se con¬centram nessas poucas profissões e mesmo dentro delas não passam de ínfima minoria. Deve ser, porém, reconhecido que na guerra de guerrilhas contra a subversão armada as forças legais de repressão não deixaram de agir com rigor, no cenário escolhido e com as armas propostas pelos insurgentes, retaliando com violência a violência revolucionária por eles iniciada, no consenso de que guerra é guerra!. Sem dúvida, uma decisão em muito semelhante à adotada por Israel após o massacre de seus atletas na Olimpíada de Munique, em 1972, quando a então 1ª Ministra, Golda Meir, ordenou aos Serviços de Inteligência “matar os que mataram”.

            Logo, os desrespeitos aos direitos humanos – com exceção dos participantes da luta armada, aos quais foram aplicadas as normas de guerra é guerra! – só aconteceram para um minúsculo grupo de indivíduos que de modo ne¬nhum podem ser considerados sequer como amostra do povo brasileiro.

            E observe o que aconteceu com essa minoria quando a ditadura militar, voluntariamente, acabou: estão todos no poder. São os que mandam no Brasil de hoje. Não por acaso: mandam porque era isso mesmo que queriam desde o começo. Sempre quiseram mandar, sempre lutaram para chegar ao poder… e chegaram pela via legal que tanto tentaram destruir.

          • Evelize Ap Veloso em 03/11/2014 às 8:20 disse:

            Se vc não viveu a ditadura, se informe, procure saber como era, da boca de pessoas, de livros, ou até de jornais, analise e veja que o que hj temos no Brasil não se compara nem um pouco ao que era neste período. Não é pq não vivemos que td bem. Conhecer pra poder opinar. Ditadura é ditadura!

          • Janaina em 03/11/2014 às 21:19 disse:

            Não concordo com a ditadura! Mas também não acredito que assim como esta seria a melhor coisa! Sera que não existe um meio termo?Ou é ditadura militar ou é isso que temos hoje em dia? esse pais que lutou para que as pessoas pudessem terem sua liberdade de expressão , mas as pessoas abusam demais!!! é com musicas pornográficas, programas de tv,novelas etc… É lastimável!!!

          • Tatiana Costantinni em 04/11/2014 às 13:52 disse:

            Tais, tenho 60 anos e vivi durante a “ditadura” militar se bem que, protegida pois meus tios eram DOI-CODI e outro, SNI. A palhacada expressada aqui sobre estes comunas de botequim nao cabe. Houve abusos? SIM. Porem, tinhamos ESCOLAS MARAVILHOSAS, educacao nao faltava e, escola privada erasa para, geralmente, aqueles que nao eram muito chegados ao estudo. Pena so tenho de que, nao tenham acabado com esta raca comuna, ditatorial e Castrista/Chevista que, pior que as ditaduras de direita, enfestam os pseudo paises “socialistas”. Socialismo e maravilhoso quando se usa o dinheiro do povo ate ele acabar. Os vergonhosos escandos durante estes anos de lulismo, quando um analfabeto anunciava que nao precisou de estudos para se tornar presidente, seus porres homericos, a roubalheira indecente da PETROBRAS e o MENSALAO.Nao pense que os militares matavam ou sumiam com todos. Que saudade daquele Brasil….Onde podiamos andar a noite tranquilamente e, traficante de drogas????Raro.Nao falo so do PT mas da imundicie que e Brasilia. Renans, Colors, Sarneys etc…..VOLTEM MILITARES.e, DESTA VEZ, ACABE COM TODOS.

          • regina maria moreira em 05/11/2014 às 18:34 disse:

            Vc ñ entendeu o texto.. Eu era mto menina durante o Regime Militar !! Ñ entendia nada !! Mas sofri mto, qdo em uma noite de sábado meu pai ñ voltou pra casa.. Foi preso de torturado em uma suposta delegaia de polícia em uma cidade próxima ( Pouso Alegre). Isso por nada !! Meu pai uma pessoa humilde, mas opinou !! Nas pancadas teve um derrame ocular e passou a vida em tratamento psiquiátrico, por ser acomatido por uma derpessão profunda que o levou a morte em 2006 !! E este povo mal informado ainda sugere militares !! Tenho 58 anos, e as marcas de tudo que nos aconteceu.. E Viva o PT !!

          • Marcelo em 07/11/2014 às 15:31 disse:

            Claro que a luta vale! Sempre valerá!
            O país está bem melhor, hoje podemos identificar os erros, apontá-los tentar corrigir, temos direito a opinião. Quanto as artes, temos para todos os gostos, desde uma Marisa Monte, Seu Jorge, Crioulo até Vanessa Popozão, A gente escuta o que quer, temos acesso a informação quase imediata, podemos opinar sobre essas informações, coisa que com certeza, em uma ditadura militar jamais teríamos, a internet seria a 1ª coisa a cair com certeza.
            Temos inflação, mas nunca como nos tempos do chumbo em que os valores subiam diariamente e de forma escandalosa. O termo inflação galopante surgiu nessa época. Existia a carteirada descarada, era só falar que vc tinha um parente militar que as portas eram abertas e pessoas abaixavam a cabeça pra vc,
            As mamatas eram piores do que as de hoje, principalmente pq nunca eram descobertas, e quando eram, abafavam o caso.
            Não sei por onde vc anda, mas eu vejo muita gente educada e com um sorriso no rosto aqui pelas ruas do rio de janeiro. Claro que não somos perfeitos, ninguém é, mas pelo menos podemos discutir sobre o assunto, ao invés de ser obrigado a aceitar o que nos era imposto.
            Procure ver o lado positivo das coisas que vc vai ver que não estamos tão ruins assim como vc acha.
            Abração.

          • Dolores Mota em 08/11/2014 às 9:43 disse:

            Querida, dói muito ver uma jovem que não viveu e nem estudou correto sobre o Brasil do século XX se posicionar assim. Nem sei se vale a pena lhe responder, mas talvez inspirada pelo compromisso com a verdade o faço.
            A vida humana nada é sem a liberdade, de criar, de sonhar.
            O Brasil foi muito pior quando tínhamos 38% de analfabetismo e os jovens pobres e de classe média sequer tinham a possibilidade de sonhar com um futuro melhor. Você nasceu num país livre e que aponta para um futuro cada vez melhor, pois estamos vivendo superações de problemas seculares.
            A liberdade e o sonho é o que faz a humanidade criar civilizações e transformar o mundo e a si, criar saberes, artes e vivências sociais, enfim, fazer história, uma história da humanidade.
            Esse processo não é linear, mas o que se consolida é o que a gente consegue fazer de melhor, superando o que de mal emerge no curso dessa busca.
            Não escolha o autoritarismo, ele só fomenta o lado negro da vida, o medo, a mesquinhez, a mediocridade, a mentira, a hostilidade e o isolamento pela desconfiança do outro.
            Liberdade e sonho é o que nos faz querer ser cada vez melhores e isso só na democracia.
            A luta por isso sempre valerá a pena.

          • Luiz Santos em 08/11/2014 às 18:07 disse:

            Taís, claro que valeu a pena a luta dos patriotas brasileiros para derrubar a ditadura militar. Por mais corrupta que seja uma democracia, ela é infinitamente melhor que qualquer ditadura, seja ela civil, militar ou religiosa. Numa democracia, eu e você podemos fazer esse comentário. Já numa ditadura, nós fatalmente, seríamos presos, torturados ou mortos. Numa ditadura, você não pode opinar contra os governantes, nem sequer pensar: novelas, peças teatrais, filmes livros, musicas. tudo tem que passar pela ‘Santa Inquisição” Lembro-me, como se fosse hoje, em outubro de 1975, chegando ao Instituto de Matemática da UFF, para fazer uma prova de Análise Matemática, deparei com um batalhão de soldados armados para coibir uma manifestação de estudantes. O Professor da disciplina, junto com alunos tentou dialogar com o comando para realizar a prova. Simplesmente, mandaram que a gente se retirasse do local imediatamente, sem dar qualquer explicação.

          • Felipe em 09/11/2014 às 22:05 disse:

            Dê-se por feliz, porque você ainda pensa no assunto! Estude e pesquise mais, e achará a resposta.

          • Elva em 09/12/2014 às 19:06 disse:

            Olá Tais. Eu vivi aqueles dia como não era de esquerda, não queria transformar o Brasil num país comunista nada aconteceu de ruim aconteceu comigo, pelo contrario tive ótimas escolas e muita segurança. Entre no Youtube e veja a verdadeira história com depoimentos de quem esteve lá.

          • Mari do Socorro em 03/03/2015 às 13:01 disse:

            É, não valeu a pena, o país está de pernas pro ar.

          • Zezão Pereira em 04/03/2015 às 13:42 disse:

            Minha gente, enquanto professor de História e tendo vivido o período de obscurantismo, citado pela Guerreira Hildegardes Angel, em seu momento mais cruel, como estudante, me sinto à vontade para apoiar a preocupação da guerreira… Por favor, gente, não confundamos uma luta que custou muitas mortes e desaparecimentos, com as preferências musicais como única opção que está chegando à juventude…Tentei, enquanto na ativa, mostrar aos meus alunos (apesar da repressão das escolas privadas), a realidade vivida pelas mães, irmãos, pais e amigos daqueles que sequer os corpos foram devolvidos às suas famílias… Por isso, e por tudo relatado pela guerreira, a luta valeu sim e vale retomá-la para que não corramos o perigo de retrocesso e de sofrimento sem par, como foi o citado período que “alguns”, que talvez não tenham noção nem de vestígio do que foi, querem! Devemos tomar cuidado, porque naquele tempo (1964) foi a classe média, incomodada, apoiada pela Igreja, pelo exército e pelas “forças” americanas,que promoveram o GOLPE INSTITUCIONAL. Agora as camadas sempre privilegiadas não querem admitir que as camadas antes excluídas, tenham também os seus direitos reconhecidos como seres humanos e membros iguais de uma sociedade que se apresenta, atualmente, em construção justa.Parabéns, Guerreira, belo

          • Camila em 04/03/2015 às 17:04 disse:

            E a tua, valeu? Quando, na História do Brasil este país foi realmente rico, prospero? Foi quando das medidas tomadas pela Junta governativa, pelo governo de Geisel, Médici? Quanto o país avançou no período militar? Veja, que para além da abertura politica subsidiada por um governo insustentável, a propria economia do período foi um desastre. Mas diga, caro moço dos 28… Quando foi que você viu melhorias?

          • marli em 05/03/2015 às 9:52 disse:

            Passei o filme sobre a família de Hildgard, nas minhas aulas de sociologia. É inegável o sofrimento desta família, desta mãe. Assim como todas as famílias que sofrem até hoje com tudo o que ocorreu Taís. Porém, como professora, entendo o que quer dizer. Estamos vivendo uma ditadura, quando não temos segurança em sair na rua, pois podemos ser mortos, não por militares, mas pela marginalidade de asssassinos que sabem que não há punição neste país para bandido. Bandido tem mais direitops que os cidadãos trabalhadores. Não fique chateada com algumas respostas que estou lendo sobre a sua postura. Só entende o sofrimento de uma mãe quem tem filhos. A mãe do Tuti sofreu o que muitas mães sofrem hoje atras de seus filhos mortos, e não há militarismo!
            Mas um governo corrupto, inerte a situação do povo e jovens brasileiros. Cidadãos de bem morrendo e o bando solto. Mas se matar-mos um bandido somos presos!
            Esta é a questão. Já estamos numa ditadura.
            A pior das ditaduras. A falta de total de liberda em todos os sentidos. Vivemos com medo e acuados. .

          • Altivo em 05/03/2015 às 17:13 disse:

            Tais, é que vc teve o privilégio de não viver na ditadura. Nem queira!
            Tudo o que temos hoje é infinitamente melhor que aqueles tempos negros, em que não se tinha liberdade para nada.
            Se hoje, na atual conjuntura, vivêssemos uma ditadura, vc certamente nem teria uma conta de facebook e whattapp.

          • Cláudio Klaus em 10/03/2015 às 0:13 disse:

            Taís, se a luta valeu a pena? Seria o mesmo que perguntar se a luta de Cristo para os Cristãos foi válida, afinal continuam existindo maldades ou se a luta de Buda para os Budistas, ou de Krishna para os Indus tiveram validade. As direções que a sociedade segue não são responsabilidade dos que lutaram contra o mal traduzido pela ditadura militar, este mesmo mal se renovou, se transformou e assumiu ares de democracia e hoje continua disputando espaços democráticos representando os mesmos interesses do passado. Todo atraso, falta de educação, emprego e dignidade são devidos em grande parte aos anos de chumbo que amordaçaram as artes e a nossa cultura, favelando nossa população.

          • oton guedes em 16/03/2015 às 10:46 disse:

            Tais

            O que e isso vc não quantos morreram para termos democracia.
            Quanto sofrimento e dor, não aceito esse desrespeito com aqueles que tombaram na luta.
            Não aceito esse golpe ,isso não tem nada a haver com ideologia e simplesmente um bando de riquinhos que não aceitam que a ascensão social das classes menos previlegiadas.

          • Ana Maria Rocha Carvalho em 16/03/2015 às 23:52 disse:

            Fábio a censura era acirrada…nas peças de teatro, nas musicas, cantores, atores, atrizes….O povo não tinha voz ativa pra nada….Lembro-me perfeitamente desse episódio, lembro-me do Rubem Paiva….um cientista que “morreu” numa queda de uma torres em Atibaia.Tanta coisa aconteceu de ruim, muito ruim….Não sei pq naquela época não pegaram Lula, Dilmete, e todo o bando e sumiram com eles,como sumiram com os outros

          • Sandra Silva de Amorim em 16/06/2017 às 10:54 disse:

            Taís, você já comentou por mim. Exatamente o que eu penso também!

        • rafael rodrigues em 05/11/2014 às 16:45 disse:

          Taís, vc n sabe quão tu tem razão. O Brasil de hoje n é democracia é pornografia. Ao contrário de constituição temos uma prostituição de todos os políticos, mormente os do PT(partido da transgressão). Parlamentares ou paralamentarmos? Estamos em queda livre, o PT vai sim transformar este lugar deplorável na nova Cuba das américas e quando teus filhos acordarem p lutar contra os mesmos serão condenados a pena perpétua e ou de morte. Tentam calar esta imprensa de porcos q em momento algum tem a coragem de noticiar a fortuna da família do maior canalha deste país. Aquele canalha o qual me enganou em 2002 e elegeu-se em nome da ética e do fim da corrupção. Eu era jovem na ditadura e como todos os meus familiares nunca tivemos problemas com a mesma, nem mesmo os q lutaram contra ela. É sabido e notório q eles mataram e torturaram, todavia, esta falsa democradura n permite q as gerações de hoje saibam q os mensaleiros de hoje, juntamente com a atual presidente não só matavam naquela época, assim bem como assaltavam bancos tbm. Odeio os baba-Ovos de políticos, mormente como os do PT q se dividem em 2 grupos: De cães de porta de boteco em espera aos ossos, restos ‘leigos q tenho muita pena’ e os adestrados q recebem ração e se dizem intelectuais e ou artistas como C.B. ; Certo é q todos abanam seus rabos p uma minoria fedorenta petista q pilha os cofres públicos e caminha p dar seu xeque-mate. Viva a nova Cuba ou Venezuela. Sinto náusea. Gostaria q ao invés de cinco copas do mundo, este lugar indecoroso tivesse governos como de países europeus, pois, entre o atual e a ditadura eu ficaria com a opção final onde o Brasil chegou a crescer quase 14% ao ano em um mundo abarrotado de crises.

          Comentar ↓
        • Vargas em 02/12/2014 às 8:13 disse:

          Eu vivi naquela época, aliás, estava servindo o exército em 1964 e nunca tive problemas…tinha, isso sim, liberdade de ir onde queria sem medo da bandidagem que hoje nos amedronta…não havia corrupção como hoje…tinha trabalho e progresso…o Brasil cresceu muito durante o governo militar…nenhum militar quis a ditadura…tanto que sempre houve alternância de poder…na época só não foi bom para os baderneiros e terroristas…gente de bem não teve problemas…nenhum militar entrou pobre e saiu rico do governo…bem diferente de hoje.

          Comentar ↓
        • Cornelio A.Dias em 25/05/2016 às 14:52 disse:

          Estudei Educação Moral e Cívica e O.S.P. B, Organização Social e Política Brasileira no antigo ginasial entre 72 e 77, antes da 1ª a 3ª série do primário minha professora lecionou em latim até chegar a Cartilha Caminho Suave, boa lembrança, mas, era garoto e não conheci os horrores daqueles anos. Hoje conforme disse [..] as mentiras eram obrigadas a ser lecionadas como verdade [..] concordo em gênero, número e grau. Quando ouvi falar em ditadura militar ela já tinha terminado, hoje caminhamos para a do proletariado. Sobre esta já aprendi o básico. Infelizmente estamos retroagindo, mas, desta vez creio que não há como impedir, isto faz parte da Agenda Globalista. A Nova Ordem Mundial virá assoladora sobre todos os Países através dos seus governantes. A Maçonaria/iLluminati serão as protagonistas da derrocada da Democracia no mundo. Não acredito que teremos dias melhores no futuro, tudo é sombrio! Que não seja assim, que seja meu delírio, mas, os fatos corroboram para a esta futura realidade! E que Deus nos livre dos dias maus que virão sobre a terra!

          Comentar ↓
        • Fabio Moreira em 30/10/2016 às 10:36 disse:

          KKKKK!!! Outra doente! Ja vistes que nenhum deste povo que está no Poder e na mídia tem um sobrenome Silva? (Lula não conta). É tudo sobrenome Italiano, Polonês, etc. Que “carma” é esse? Os Espiritas devem explicar isso: trazem seus sofrimentos anteriores de outros países e vem estragar o nosso aqui! Só pode ser isso! Dona Vera, por gentileza, seu sobrenome seria qual?? Estou com essa Teoria, poderia confirmar seu sobrenome? sobrenome??

          Comentar ↓
      • Flávio Prieto em 10/03/2014 às 14:11 disse:

        Temos que também listar outras diferenças entre os dois momentos: hoje, graças aos que lutaram ou não se dobraram totalmente aos golpistas e seu projeto, temos imprensa sem censura, eleições diretas para todos os cargos eletivos, partidos à vontade, Ministério Público e Judiciário não atrelados ao governo central, arte sem censura e até subsidiada com recursos públicos, grêmios estudantis e sindicatos funcionando livremente – muitos dos quais aparelhados por partidos de oposição ao governo, garantias individuais e políticas como HC, mandado de segurança, liberdade de filiação partidária e ideológica, etc. Comparar os dois momentos como se fossem a mesma coisa ou um contínuo é burrice, mas tem gente à direita e à esquerda que insiste em fazer isso.

        Comentar ↓
        • Ivone Oliveira em 10/11/2014 às 12:29 disse:

          Após ler o seu escrito Flávio Prieto, aproveito esse momento “livre” para, então, expressar o que penso ser “liberdade”. E quero fazê-lo da maneira como me sinto e me vejo no contexto atual.
          Primeiro, entendo que a liberdade pela qual muitos lutaram, corrompeu-se e desabou para a libertinagem.

          Julgo que a “liberdade?” de expressão é usada incorreta e maliciosamente pela televisão brasileira, impondo às crianças, adolescentes e jovens, conceitos de família, vida, prazer, respeito e o próprio termo liberdade, enfim, de ética de forma deturpada e mentirosa. Creio que a nossa sociedade está mergulhada nas drogas e na violência em todos os níveis pelo grande incentivo que é imposto pelas novelas, filmes e seriados, e, inclusive, pelos programas infantis malignos impostos às nossas inocentes crianças. Através deles, toda a corja de malfeitores encontram espaço para a ditadura sangrenta ao culto do corpo (moda, beleza, juventude eterna, etc.)

          Gostaria de saber expressar a minha indignação contra essa “liberdade de expressão”. Gostaria que alguém, que tivesse poder e influência, se levantasse em favor da família e convocasse todos os cineastas, novelistas, autores de propagandas, escritores, músicos, políticos etc., e fizesse um acordo com eles para extinguir toda provocação ao despudor, e à maledicência, e ao desrespeito, e à violência, etc.; chamando todos à responsabilidade de construir um País sério e compromissado com o bem comum. É nesse País que sonho viver.

          Gostaria de ver extinta para sempre a ditadura militar e a ditadura do PT e outros partidos políticos que exploram a ignorância do povo brasileiro para se beneficiarem de forma direta e indireta.

          Afinal, que País é esse que sonho viver?

          UM PAÍS GIGANTE! ACORDADO, E VALENTE DEFENSOR DE SEU POVO E DE SUA GENTE.

          Comentar ↓
          • vicente dantas oliveira em 02/03/2015 às 19:00 disse:

            Sem saber votar o que dizer?

      • cassia charrison em 04/11/2014 às 5:32 disse:

        Deus salve nosso pais!

        Comentar ↓
        • Maria José Miranda Rêgo em 07/11/2014 às 16:08 disse:

          SÓ QUERO DIZER: AMÉMMMMMMM !!!!!!

          Comentar ↓
        • Valdir em 03/03/2015 às 20:40 disse:

          Acho que nem Deus quer saber mais do Brasil. Saímos da ditadura para cair nesse abismo. À Janaína, existe saída, com certeza, mas teríamos que passar a borracha em tudo, refazer constituição, lei e sistema eleitoral, porém, isso só será possível através de um levante popular que deponha todos aqueles que ocupem cargo eletivo ou comissionados, os puxa-sacos, e começar do zero, punindo rigorosamente aqueles que cometem crimes. Manter a impunidade para criminosos de nada vai resolver. Os criminosos a quem me refiro, são aqueles que roubam galinha, assaltam a mão armada, compram votos, subornam, fazem emendas para municípios cujos gestores aceitam devolver percentuais, desviam dinheiro de estatais, (nesse caso, os gestores devem ser co responsáveis, afinal, quem indicou ladrão…) Como vê, é fácil!

          Comentar ↓
      • Cice em 22/03/2016 às 1:38 disse:

        É de fundamental importância estudarmos a história, para que os erros não se repitam. Para que os negros anos da ditadura, não caiam na escuridão do esquecimento. Mas, não devemos nos iludir. Em 64 não havia um lado bem intencionado. Para nenhum deles a democracia era uma opção. Haveria de qualquer forma um golpe. Para o que se concretizou, conhecemos as consequências. Mas, para o que poderia ter acontecido, não. Afirmar que ‘nada poderia ser pior que a ditadura militar’, não sei se é uma verdade. Será que temos o direito de ignorar o que o comunismo causou em outros países? Será que as consequências deste, foram ou são, tão “melhores” do que a nossa ditadura militar. O que sei é que usar o nosso passado, como desculpa, para que nada seja feito contra essa quadrilha de bandidos de esquerda, que assolam o nosso país, é cuspir em nossa história, e perceber que tudo foi em vão, e que nada aprendemos.

        Comentar ↓
      • jandir miguel klein em 06/04/2016 às 0:15 disse:

        Tenho 62 anos e vivi os dois lados destes episódios. Quando seminarista. (sera que alguém lembra) No Instituto Menino Deus, em Passo Fundo, No Rio Grande do Sul, acompanhei a invasão do seminario (INSTITUTO MENINO DEUS, DOS PADRES REDENTORISTAS) algum d”aqui conheceu padre Tonon) desculpem, sou analfabeto digital, eu e este teclado não aprendemos a interagir para digitar interrogação.E vi um colega, mais velho, sair algemado, e, dias depois voltar, devidamente amaciado. (hematomas mal disfarçados). Anos depois como soldado( DOS DRAGÕES DA INDEPENDÊNCIA) virei o 332. Meu vizinho, o 334, Magrelo e viciado em leitura, como eu, era meu melhor amigo e confidente, foi aceito para manobras no Xambioa. Não fui aceito porque era marceneiro. (profissional), menos importante como bucha de canhão. Dias depois ele voltou, belo, e, devidamente embalado, num belo caixão. Oficialmente suicida. Anos depois, as histórias se encontraram. (na minha idiota e ingenua mente), quando, após a anistia, os elos desta tragédia se encaixaram . Muitos moleques, (em torno dos vinte anos) se mataram mutuamente, sem saberem porque e, nem mesmo, que a guerra era de verdade.

        As mesmas forças de antanho estão manipulando os mal informados de hoje, que alegremente querem verter o sangue dos bodes expiatórios do momento. A coisa vai de mal a pior. (POVO BRASILEIRO, SERA QUE DEUS AQUENTA TANTA INTOLERÂNCIA E IGNORÂNCIA DA HISTÓRIA TÃO RECENTE)

        Comentar ↓
    • eliot55 em 21/02/2014 às 14:11 disse:

      Nunca fomos oprimidos por ninguém. Nosso pai e mãe sempre nos deram a educação correta, sempre fizemos por merecer tudo que temos hoje. Com militar ou sem militar nunca mudamos o foco de nossa conduta. Sempre servir o melhor possível a quem precisar de nós. Sempre estudar, nunca parar. Sempre cuidar o melhor possível de nossa família, sendo essas nossas obrigações numa sociedade civilizada.
      Discurso atrasado esse de opressores e oprimidos. Perderam o rumo da história pessoal. 2014. Acorda!!!

      Comentar ↓
      • Fatima Bongiorno em 21/02/2014 às 23:40 disse:

        Acorda vc nossa história faz parte da democracia de hoje, ‘nào se acha muito egoista nunca perdeu ninguém como sua familia nunca lutou por nada, sempre se beneficiaram da luta e perda dos outras, acorda você.

        Comentar ↓
        • ELAINE PAES E LIMA em 03/11/2014 às 18:09 disse:

          Esse cidadão de fato PRECISA ACORDAR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!E RÁPIDO !!!!!!!!!!!!!!!!!!

          Elaine Paes

          Comentar ↓
          • Graça em 06/11/2014 às 21:32 disse:

            Não sei se esse cidadão ainda tem condições de acordar. Alienado, desinformado e maniqueísta, ele faz parte daquela parcela da sociedade que, quando pode, oprime e agride. Triste.

        • Marcelo Cesar Cordeiro em 16/06/2016 às 10:59 disse:

          Depende do SEU ponto de vista! Minha família também nunca foi perseguida ou torturada, em contrapartida, trabalhava e conquistava espaço na sociedade. Foi a melhor época para se adquirir algum imóvel. Se eu fosse para as ruas hoje, no fora DILMA, poderia ser morto, preso, apanhar da polícia, sem que a DITADURA existisse atualmente. Prefiro trabalhar, à reclamar do que quer que seja.

          Comentar ↓
      • Ellen em 22/02/2014 às 16:21 disse:

        alienado convicto.. que triste..

        Comentar ↓
        • junior em 22/02/2014 às 21:05 disse:

          quem se armou no passado, por amor a uma idelogia, tem o direito de queixar de suas feridas, de obter junto ao estado suas indenizações ( bem generosas por sinal). O jovem é aventureiro, gosta do perigo, para entrar numa guerra ele tem que ter o velho guerreiro para acalmar seus animos e evitar certos conflitos que as vezes são influenciados por outros países de cultura muito diferente da nossa.

          ” o diabo matou a mãe com o cano da bota”

          Comentar ↓
          • Hildegard Angel em 22/02/2014 às 21:29 disse:

            E lá vem esse papo de indenização generosa. Ô Junior, bota aí um preço pela vida de sua mãe. E bota preço na vida de seu irmão também. Com corpo ou sem corpo, quanto é que ele está valendo? Ah, o preço depende da idade. Se ele for produtivo por muito tempo, vale entre 90 a no máximo 100. Se produzir menos tempo, vale 70 pra baixo. Depois me fala, tá?

      • vera lucia de castro em 23/02/2014 às 0:32 disse:

        Estamos em 2014, mas temos história, temos passado,não devemos esquecer nunca de nossa bagagem e a nossa foi bem cruel. Você nunca se sentiu oprimido ótimo, mas nunca parou para olhar para o lado e ver as dores e as injustiças sofridas pelos filhos que perderam pais, mães quer perderam filhos. Acorda você criatura sem história.

        Comentar ↓






studante, me sinto à vontade para apoiar a preocupação da guerreira… Por favor, gente, não confundamos uma luta que custou muitas mortes e desaparecimentos, com as preferências musicais como única opção que está chegando à juventude…Tentei, enquanto na ativa, mostrar aos meus alunos (apesar da repressão das escolas privadas), a realidade vivida pelas mães, irmãos, pais e amigos daqueles que sequer os corpos foram devolvidos às suas famílias… Por isso, e por tudo relatado pela guerreira, a luta valeu sim e vale retomá-la para que não corramos o perigo de retrocesso e de sofrimento sem par, como foi o citado período que “alguns”, que talvez1xԆ0y& que foi, querem! Devemos tomar cuidado, porque naquele tempo (1964) foi a classe média, incomodada, apoiada pela Igreja, pelo exército e pelas “forças” americanas,que promoveram o GOLPE INSTITUCIONAL. Agora as camadas sempre privilegiadas não querem admitir que as camadas antes excluídas, tenham também os seus direitos reconhecidos como seres humanos e membros iguais de uma sociedade que se apresenta, atualmente, em construção justa.Parabéns, Guerreira, belo

  • Camila em 04/03/2015 às 17:04 disse:

    E a tua, valeu? Quando, na História do Brasil este país foi realmente rico, prospero? Foi quando das medidas tomadas pela Junta governativa, pelo governo de Geisel, Médici? Quanto o país avançou no período militar? Veja, que para além da abertura politica subsidiada por um governo insustentável, a propria economia do período foi um desastre. Mas diga, caro moço dos 28… Quando foi que você viu melhorias?

  • marli em 05/03/2015 às 9:52 disse:

    Passei o filme sobre a família de Hildgard, nas minhas aulas de sociologia. É inegável o sofrimento desta família, desta mãe. Assim como todas as famílias que sofrem até hoje com tudo o que ocorreu Taís. Porém, como professora, entendo o que quer dizer. Estamos vivendo uma ditadura, quando não temos segurança em sair na rua, pois podemos ser mortos, não por militares, mas pela marginalidade de asssassinos que sabem que não há punição neste país para bandido. Bandido tem mais direitops que os cidadãos trabalhadores. Não fique chateada com algumas respostas que estou lendo sobre a sua postura. Só entende o sofrimento de uma mãe quem tem filhos. A mãe do Tuti sofreu o que muitas mães sofrem hoje atras de seus filhos mortos, e não há militarismo!
    Mas um governo corrupto, inerte a situação do povo e jovens brasileiros. Cidadãos de bem morrendo e o bando solto. Mas se matar-mos um bandido somos presos!
    Esta é a questão. Já estamos numa ditadura.
    A pior das ditaduras. A falta de total de liberda em todos os sentidos. Vivemos com medo e acuados. .

  • Altivo em 05/03/2015 às 17:13 disse:

    Tais, é que vc teve o privilégio de não viver na ditadura. Nem queira!
    Tudo o que temos hoje é infinitamente melhor que aqueles tempos negros, em que não se tinha liberdade para nada.
    Se hoje, na atual conjuntura, vivêssemos uma ditadura, vc certamente nem teria uma conta de facebook e whattapp.

  • Cláudio Klaus em 10/03/2015 às 0:13 disse:

    Taís, se a luta valeu a pena? Seria o mesmo que perguntar se a luta de Cristo para os Cristãos foi válida, afinal continuam existindo maldades ou se a luta de Buda para os Budistas, ou de Krishna para os Indus tiveram validade. As direções que a sociedade segue não são responsabilidade dos que lutaram contra o mal traduzido pela ditadura militar, este mesmo mal se renovou, se transformou e assumiu ares de democracia e hoje continua disputando espaços democráticos representando os mesmos interesses do passado. Todo atraso, falta de educação, emprego e dignidade são devidos em grande parte aos anos de chumbo que amordaçaram as artes e a nossa cultura, favelando nossa população.

  • oton guedes em 16/03/2015 às 10:46 disse:

    Tais

    O que e isso vc não quantos morreram para termos democracia.
    Quanto sofrimento e dor, não aceito esse desrespeito com aqueles que tombaram na luta.
    Não aceito esse golpe ,isso não tem nada a haver com ideologia e simplesmente um bando de riquinhos que não aceitam que a ascensão social das classes menos previlegiadas.

  • Ana Maria Rocha Carvalho em 16/03/2015 às 23:52 disse:

    Fábio a censura era acirrada…nas peças de teatro, nas musicas, cantores, atores, atrizes….O povo não tinha voz ativa pra nada….Lembro-me perfeitamente desse episódio, lembro-me do Rubem Paiva….um cientista que “morreu” numa queda de uma torres em Atibaia.Tanta coisa aconteceu de ruim, muito ruim….Não sei pq naquela época não pegaram Lula, Dilmete, e todo o bando e sumiram com eles,como sumiram com os outros

  • Sandra Silva de Amorim em 16/06/2017 às 10:54 disse:

    Taís, você já comentou por mim. Exatamente o que eu penso também!

  • rafael rodrigues em 05/11/2014 às 16:45 disse:

    Taís, vc n sabe quão tu tem razão. O Brasil de hoje n é democracia é pornografia. Ao contrário de constituição temos uma prostituição de todos os políticos, mormente os do PT(partido da transgressão). Parlamentares ou paralamentarmos? Estamos em queda livre, o PT vai sim transformar este lugar deplorável na nova Cuba das américas e quando teus filhos acordarem p lutar contra os mesmos serão condenados a pena perpétua e ou de morte. Tentam calar esta imprensa de porcos q em momento algum tem a coragem de noticiar a fortuna da família do maior canalha deste país. Aquele canalha o qual me enganou em 2002 e elegeu-se em nome da ética e do fim da corrupção. Eu era jovem na ditadura e como todos os meus familiares nunca tivemos problemas com a mesma, nem mesmo os q lutaram contra ela. É sabido e notório q eles mataram e torturaram, todavia, esta falsa democradura n permite q as gerações de hoje saibam q os mensaleiros de hoje, juntamente com a atual presidente não só matavam naquela época, assim bem como assaltavam bancos tbm. Odeio os baba-Ovos de políticos, mormente como os do PT q se dividem em 2 grupos: De cães de porta de boteco em espera aos ossos, restos ‘leigos q tenho muita pena’ e os adestrados q recebem ração e se dizem intelectuais e ou artistas como C.B. ; Certo é q todos abanam seus rabos p uma minoria fedorenta petista q pilha os cofres públicos e caminha p dar seu xeque-mate. Viva a nova Cuba ou Venezuela. Sinto náusea. Gostaria q ao invés de cinco copas do mundo, este lugar indecoroso tivesse governos como de países europeus, pois, entre o atual e a ditadura eu ficaria com a opção final onde o Brasil chegou a crescer quase 14% ao ano em um mundo abarrotado de crises.

    Comentar ↓
  • Vargas em 0